Os prováveis Quarterbacks que poderão ser draftados pelos Patriots

A cada ano que passa Tom Brady, atual MVP da liga, se torna uma incógnita para o futuro  da franquia. Com 41 anos as especulações sobre o quanto tempo durará a carreira astro do nosso time são inevitáveis.

Levando em consideração todos esses fatores muito se fala em quem sera o futuro da franquia, na posição mais importante do ataque. Muitos achavam que esse futuro estava assegurado com Jimmy Garoppolo, draftado na segunda rodada com a escolha de número 62 no geral em 2014. Alguns poderiam  ter a impressão de que Jacoby Brissett, escolhido na terceira rodada na escolha 91 do Draft de 2016, seria o herdeiro do reinado.

Porém ambos foram trocados, o futuro da posição volta a pauta de discussão. O Draft, que acontecerá na próxima quinta feira dia 26, é visto por muitos o melhor caminho de assegurar uma estabilidade para quem sabe nos próximos 10 anos na posição de Quarterback. Esse texto tentará mostrar as melhores opções para o time, tendo em vista a possibilidade deles estarem disponíveis nas nossas escolhas, esses não necessariamente são os melhores QBs da classe de 2018.

1- Lamar Jackson (6’3”, 211lb; 1,90m, 95Kg), Louisville

Lamar Jackson no pocket, esperando para lançar

Lamar Jackson é dado por muitos analistas como a melhor “arma” deste draft, isso significa que a sua habilidade de criar jogadas, no sistema certo, construído em função dele, pode torna-lo imparável. Jackson teve uma temporada de 2016 impressionante no college, levando-o a ganhar o tão importante Heisman Throphy, dado ao melhor jogador no futebol universitário. Contudo o número elevado de Turnovers, a queda de rendimento na ultima temporada ( não mostrada muito nos números), fizeram sua cotação no draft cair.

Pontos Fortes:

Rara habilidade de criar jogadas, combinado com seu físico acima da media, tendo um braço forte, saber quebrar tackles quando corre com a bola ou estende as jogadas, combinado com sua evolução de leitura pre-snap a cada ano, consegue congelar os Safety com os olhos, ter experiência under center e eficiência na Red-Zone.

Pontos Fracos:

Falta de precisão nos passes (59,1% em seu ultimo ano de College), falta de sensibilidade quando o Pocket entra em colapso, muitos passes longos imprecisos fazendo assim os recebedores terem que fazer ajustes nas rotas, muitos passes atrás dos recebedores, muitos Turnovers.

Projeção: Fim da Primeira Rodada (Pick #23)

Mason Rudolph (6’5”, 230lb; 1,96m, 124Kg), Oklahoma State University

Mason Rudolph vibrando após um jogo

Rudolph é conhecido por ser um bom Pocket-Passer, liderando a FBS ( primeira divisão do College) em media de jardas por jogo, 377, terminando a temporada com 4904 jardas com um grande percentual de acerto dos passes 65,0%, liderou os QBs em touchdowns lançados com 37 e apenas 9 interceptações. Alto e forte fisicamente Rudolph se torna um prospecto interessante caso trabalhe com um grande coordenador ofensivo como Josh McDaniels. Pode-se observar algumas semelhanças no jogo e postura de Rudolph com Jimmy Garoppolo quando foi draftado.

Pontos Fortes:

Sua altura aliada a sua precisão o torna uma grande arma dentro do pocket, grande habilidade em esperar o desenvolvimento das rotas pelos recebedores, manter os olhos em profundidade quando se move no pocket, sua liderança sobre o ataque, qualidade que foi crescendo ao longo de sua carreira, capacidade de livrar-se rapidamente da bola evitando assim sacks e capacidade de distribuição dos passes para ambas sidelines.

Pontos Fracos:

Seus lançamentos são um pouco lentos e fracos dificultando assim acerta-los em janelas pequenas, dificuldades de sintonias em rotas comeback e out, previsibilidade nos passes quando tem tempo para lançar, dificuldade em lançamentos em movimento e em alguns momentos dos jogos da a sensação de estar fora da velocidade do jogo, um passo atras, fator que pode dificultar a transição para a NFL

Projeção: Fim da Primeira Rodada/Começo da Segunda Rodada (Pick #31 ou Pick #43)

Luke Falk (6’4”, 223lb; 1,93m, 101 Kg), Washington State

Luke Falk em ação por WSU

Falk é um Quarterback que foi perfeito para o sistema de seu HC Mike Leach, com passes rapidos, curtos, para ganhos menores, ele se saiu muito bem. Quebrando recordes de sua conferência Pac-12 de mais touchdowns lançados, passes completos, jardas lançadas e passes tentados. Contudo em seu último ano na universidade foi cercado de incertezas, perdendo a titularidade em alguns jogos. Sua combinação de habilidades, efetividade em passes curtos e dificuldade de lançar bolas q viajam pelo menos 10 jardas o tornam um cara mediano na posição.

Pontos Fortes:

Sua precisão em passes curtos é notória, dono de um release rápido e curto, lança a bola com um bom espiral, bom trabalho de pés quando o pocket fecha, bom posicionamento da bola em seus lançamentos, precisão em passes back-shoulder e sua habilidade de livrar-se da bola rápido em passes curtos.

Pontos Fracos:

Dificuldade em lançar passes longos por conta de seu braço fraco e abaixo da media, muitas decisões erradas quando esteve sobre pressão, a maioria de suas interceptações vieram quando a defesa estava marcando em zona, lento nas leituras de blitz e lento na leitura de boas rotas nessas situações, quase 74% dos seus passes tentados a bola viajou menos de 10 jardas. Vale ressaltar que ao longo de sua carreira ele foi sacado 125 vezes

Projeção: Quarta ou Quinta Rodada (Para seleciona-lo os Patriots precisariam realizar alguma troca para adquirir escolhas nessas rodadas, pois não possuímos escolhas nessas rodadas)

Kyle Lauletta (6’3”, 215lb; 1,90m, 98 Kg), Richmond

Kyle Lauletta em campo por Richmond

Lauletta vem de uma universidade pequena, sem muita expressão, contudo a partir do Senior Bowl, vários analistas o apontaram como o prospecto perfeito para o time dos Patriots. É possível observar bons atributos, que são necessários para um quarterback ser bem sucedido. Mas existe bastante receio pela falta de competitividade de sua divisão no college e dúvidas em como ele se portara na NFL, um nível bem acima do enfrentado por ele até esse ponto da carreira.

Pontos Fortes:

Crescente evolução durante seu tempo na faculdade, ótimo trabalho de pés, excelente precisão e timing em lançamentos intermediários e sob pressão, grande líder e ótimo em mover os linebackers com os olhos quando estão na cobertura.

Pontos Fracos:

Falta de força no braço, causando imprecisão em lançamentos mais longos, lança muitas bolas com o recebedor em marcação dupla ou a presença de um safety ajudando na cobertura, quando esta sobre muita pressão ele tende a se frustrar e histórico preocupante de lesões no joelho, tendo rompido o ACL em 2016.

Projeção: Quarta ou Quinta Rodada (Para seleciona-lo os Patriots precisariam realizar alguma troca para adquirir escolhas nessas rodadas, pois não possuímos escolhas nessas rodadas)

Outros nomes que podem ser levados em consideração são: Mike White (Western Kentucky), Logan Woodside (Toledo), Chase Litton (Marshall) e Kurt Benkert (Virginia).