Nesta semana tivemos uma das maiores trocas da franquia New England Patriots nos últimos anos, onde Jimmy Garoppolo foi trocado para o San Francisco 49ers por uma escolha de segunda rodada no Draft de 2018.

A troca ocorrida na segunda-feira a noite pegou todos de surpresa, mas analisando ela através de informações e das entrevistas dos envolvidos ela começar a fazer sentido e muito.

Primeiramente o que ficou muito claro é que sim Tom Brady será o QB dos Patriots até se aposentar.

Mas porque esta troca aconteceu?

ÚLTIMA CHANCE DE FAZER A TROCA

Belichick na sua conferencia de terça-feira deixou claro que os Patriots enrolaram o máximo que puderam até tomar a decisão por fazer a troca, e esta era a última janela disponível para faze-la. Claro que os Patriots poderiam ter trocado Jimmy já na offseason, mas vale lembrar que Brady estava prestes de fazer 40 anos no training camp. Eles não podiam tratar o caso como se ele estivesse com 30 anos e no auge, não importa o trabalho que ele venha fazendo ao longo dos anos com o método TB12. Naquele momento não era a hora de deixar seu reserva imediato ir embora, como o próprio John Lynch confirmou na sua conferencia de imprensa de hoje ao apresentar Garoppolo aos torcedores dos 49ers, ao admitir que já havia procurado os Patriots antes do inicio da temporada, e onde a conversa foi encerrada rapidamente ao ouvir que Jimmy não estava disponível naquele momento.

Mas porque não estava disponível? Por mais que Brady seja o G.O.A.T, os Patriots precisavam ver com seus próprios olhos qual seria a produtividade e saúde do QB de 40 anos, e portanto não podia se dar ao luxo de negociar seu reserva imediato naquele momento.

E porque agora? Se Garoppolo não fosse trocado nessa janela, ele seria um free agent na próxima temporada, o que colocaria os Patriots em uma situação difícil. Poderia ser assinada uma extensão, mas com Brady jogando o que tem jogado Jimmy não teria chances tão cedo de ser titular, então porque ele aceitaria uma extensão se já deixou claro que quer jogar? Como já havia sido falado aqui mesmo no nosso site, vários repórteres já noticiavam que Patriots e Garoppolo estavam desde o inicio do ano conversando sobre uma possível renovação, mas nos últimos dias ficou claro que não haveria a possibilidade o que facilitou sua negociação.

Os Patriots também poderiam colocar a TAG nele, mas isso custaria por volta de US$ 20 milhões e é algo que não é de costume da franquia fazer. Além disso afetaria a offseason da equipe como um todo com esse montante envolvido. A TAG só garantiria Jimmy por um ano e com Brady jogando o que está e com contrato até 2019, não seria bom.

Esta foi realmente a última chance dos Patriots trocarem Jimmy e receberem algo bom em troca.

COMPENSAÇÃO RECEBIDA

Muitos pensam que os Patriots não receberam o que Garoppolo valia, com apenas uma escolha de segunda rodada. Este foi o debate desde que a troca foi noticiada.

Tudo isso devido aos rumores que os Browns teriam oferecido na offseason uma escolha de primeira rodada aos Patriots, que teria sido recusada. Porém, Ian Rapoport, insider da NFL reportou ainda na segunda-feira que o máximo que foi ofertado pelos Browns também foi uma escolha de segunda rodada.

Possivelmente os Patriots nunca conseguiriam uma escolha de primeira rodada por Jimmy, e com os 49ers conseguiram talvez a 33ª ou 34ª escolha (primeira ou segunda escolha da segunda rodada). Uma das razões que dificultaria para os Patriots conseguirem uma escolha de primeira rodada, é que as equipes que no momento estão precisando de um quarterback terão primeiras escolhas no Draft e nenhuma equipe com as 10 primeiras escolhas trocaria elas por Jimmy.

Os Patriots poderiam ter recebido uma escolha de primeira rodada se tivessem dispostos a negociar antes? Talvez. E se tivesse esperado mais um dia? Também. Porém quando o assunto é uma troca, os Patriots sempre foram muito diretos, esse é seu modo de operar.

No final, os Patriots trocaram Garoppolo o jogador que eles escolheram na 62ª escolha no geral por uma 33ª ou 34ª escolha no geral. Não é um valor ruim, se formos levar em conta todos os fatores envolvidos.

BRIAN HOYER

Brian Hoyer está de volta aos Patriots após assinar um contrato de três anos, com 32 anos o quarterback já fez seu primeiro treino com os Patriots nesta quarta-feira, Hoyer havia deixado os Patriots em 2012. O motivo de sua volta se dá por os Patriots  não terem um reserva para Tom Brady, e por sua familiaridade com a franquia. Hoyer assinou com os Patriots em 2009 e jogou durante a temporada de 2011, tendo sido cortado em 2012 após perder sua vaga para Ryan Mallett.

QUEM SERÁ O FUTURO QUARTERBACK PÓS BRADY

Brady atualmente tem contrato até 2019, onde terá 42 anos antes da temporada começar, porém algumas vezes Brady já falou sobre jogar até os 45. Belichick já deixou claro que o caso de Brady é analisa-lo ano a ano. Fato é que os Patriots precisam trazer alguém e forma-lo para ser o sucessor de Brady, pode ser que isso ocorra já em 2018 no Draft e seja usada uma escolha alta, já que a classe de 2018 de quarterbacks é um das mais promissoras dos últimos anos.

QUARTERBACKS QUE PODERIAM VIR DO DRAFT 2018

Luke Falk (Whashington State):

Teve seus altos e baixos nesta temporada e já foi para o banco duas vezes. Porém quando está jogando seu melhor deu mostras que pode carregar seu ataque para frente, porém precisa de mais consistência. Falk joga em um time que usa o ataque spread, então teria que aprender um novo sistema em sua transição para a NFL. Provavelmente estará disponível na faixa de escolhas que os Patriots possuem, e pode estar no radar da equipe devido a sua experiência e precisão.

Mason Rudolph (Oklahoma State):

A primeira vista parece um grande prospecto para a NFl, tem números muito bons, tamanho e experiência. Porém há algumas criticas quanto a sua mecânica nos passes. Vai precisar de um tempo para se adaptar a NFL. Talvez tenha muitos questionamentos voltados para si para vir para os Patriots.

Baker Mayfield (Oklahoma):

Dono de estatísticas incríveis, porém também com questionamentos quanto a sua técnica, especialmente seu jogo de pés,e sobre sua maturidade (foi preso durante a offseason). Provavelmente vai ser draftado no segundo dia. Mesmo caso de Rudolph muitos questionamentos podem tira-lo do caminho de New England.

Ryan Finley (NC State):

Finley tem exibido talento e precisão nas partidas que jogou e vai subindo lentamente de posição no Draft. Será uma excelente opção nas rodadas de meio no draft. Não seria de se estranhar se entrar no radar dos Patriots.

Jarrett Stidham (Auburn):

Completou 66% de seus passes tentados,  apesar de não se destacar em suas habilidades atléticas (lembra alguém?). mostrou que é capaz de encarar os adversários mais fortes do college. Poderia entrar no radar dos Patriots, mas precisaria de um tempo para se adaptar ao estilo de jogo da equipe.

Riley Ferguson (Memphis):

Considerado magro e preciso. Os Patriots já tiveram sucesso com essa receita no passado, e por isso podem dar uma olhada no quarterback de Memphis. Ferguson precisa ser trabalhado ainda um pouco em sua mecânica e visão de jogo para se tornar um quarterback de sucesso na NFL. Ele teria tudo isso em New England, se a equipe estiver disposta a correr o rico e investir nele.

CONCLUSÃO

Belichick adorava Garoppolo, ficou claro que foi uma decisão difícil para ele troca-lo. Belichick também falou que os Patriots tiveram a melhor opção de quarterbacks da liga nos últimos 2 anos e meio e que seria algo impossível de sustentar. Só trocou Jimmy para não impactar a equipe na próxima offseason. Hoyer veio porque não almeja ser titular e vem sabendo que não vai jogar, o que daria tempo para os Patriots desenvolverem o substituto de Brady que deve vir do Draft ou de 2018 ou 2019. Já Brady fica até 2019 ao fim de seu contrato ou renova por mais um tempo, o fato é que a primeira e única camisa que vai vestir na NFL será a de Nº12 do New England Patriots.

the author

André Morais, professor de tênis, formado em educação física bacharelado, aficionado pela nfl desde que ganhou seu primeiro Madden em 2000, torcedor dos Patriots desde 2001 quando viu um certo QB hoje chamado de G.O.A.T arrasar defesas adversárias, 30 anos. Pato Branco - PR

Comentários

Top