Com a ascensão dos Patriots, engatando uma sequência de 8 vitórias seguidas, somada a uma queda de rendimento dos demais times da divisão, a briga pelo topo da AFC Leste esta, a cada semana menos acirrada. As pretensões de Bills e Dolphins, nesse quarto final de temporada, se resumem a beliscar uma vaga no Wild Card. Os Jets por sua vez estão surpreendendo e conseguindo vitórias importantes depois, mas a falta de consistência tem sido a marca do time, dificultando assim o almejar algo maior (que não seja uma boa posição no draft).

 

New England Patriots (10-2) 23×03 Buffalo Bills (6-6)

Um jogo truncado por essência, pois se trata de um duelo divisional, os Bills seguraram os Patriots até  o intervalo, onde o jogo esta “só” 09×03. Contudo na volta para o terceiro quarto os Patriots fizeram um ajuste no ataque que se baseou em, usar mais Rob Gronkowski, como os Bills usaram muito da defesa nickel, que consiste em 8 jogadores no box para conter a corrida, quando os Patriots usaram 2 TEs, esse ajuste desmontou o esquema de Bufallo pois a versatilidade dos corredores, somada a habilidade e versatilidade dos RBs e TEs Patriots. Todos esses fatores cominaram para  a derrota da equipe dos Bills

Pontos Positivos:

A defesa foi consistente contendo as big plays dos Patriots, limitando os WRs a poucas jardas, Brandin Cooks teve 2 recepções para 17 jardas, Danny Amendola com 3 recepções e 34 jardas. Destaques para o Safety Micah Hyde, figurinha carimbada nessa parte da analise, com 12 tackles totais.

Outro destaque, grande surpresa da equipe na temporada, é o CB Tre’Davious White, conseguindo 1 passe defendido e 1 interceptação, fato que com Brady só tinha acontecido outras 3 vezes nessa temporada, o novato tem ajudado muito a defesa contra o passe.

Pontos Negativos:

O ataque em geral tem sido improdutivo, nas vitórias jogando para o gasto, mas tem seus motivos como: estar sem o LT titular, nessa partida o QB Tyrod Taylor ter se machucado na primeira jogada da partida e jogado o restante sem ter muitas condições e o pouco uso do RB LeSean McCoy, se o jogo terrestre não encaixa o ataque fica previsível, tratando-se dos Bills, uma equipe cujo o corpo de recebedores esta longe de ser um dos melhores, um ataque balanceado é necessário.

A eficiência do time na red zone tem sido uma tecla que este colunista frisa á algum tempo. Nessa partida na primeira campanha o time chegou perto da linha do gol contudo Taylor foi interceptado de forma pífia. Em duas jornadas na red zone o time somou um total de 3 pontos. Um cenário nada idela quando se pretende vencer a equipe da Nova Inglaterra.

Denver Broncos (3-9) 09×35 Miami Dolphins (5-7)

A equipe dos Dolphins foi para o Colorado enfrentar os Broncos e sua temida defesa. Em uma partida inconsistente dos dois lados, um pouco louca tendo em vista o normal da NFL, Miami saiu com a vitória, mesmo com seu QB sendo interceptado 2 vezes a defesa garantiu o tento longe de seus domínios, e assim mantendo viva a esperança de ir ao pós temporada pela segunda temporada consecutiva.

RB Kenyam Drake correndo com a bola

Pontos Positivos:

A defesa é o grande destaque e responsável pela vitória, forçando 2 safeties, coisa que não vemos todo dia na liga, uma pick-six por parte do CB Xavier Howard que teve outra interceptação no jogo. Contendo o jogo corrido dos Broncos e assim forçando o QB Trevos Simean a passar 41 vezes sendo 3 desses passes interceptados. A unidade defensiva agiu muito bem forçando os erros do adversário.

O ataque terrestre finalmente foi efetivo, com destaque ao segundo anista Kenyan Drake que teve 23 carregadas para 120 jardas e 1 Touchdown. Forçando a defesa de Denver a ficar bastante em campo, minando a resistência física deles, foi um fator para a vitória dos Dolphins.

Pontos Negativos:

Os turnovers tem sido um problema ao longo da temporada, Jay Cutler vem cometendo seguidamente os mesmos erros. Nessa partida o QB da equipe da Flórida lançou 2 interceptações. Para ir aos playoffs a equipe precisa de Cutler, com o jogo terrestre encaixando o QB não tem a necessidade de forçar certos passes levando a esses erros, ele esta longe de ser uma unanimidade e vemos que não basta conhecer o ataque do HC Adam Gase para ser efetivo e substituir Ryan Tannehill a altura.

Kansas City Chiefs (6-6) 31×38 New York Jets (5-7)

Em uma partida marcada pela inconsistência de ambos os times, a equipe de New York conseguiu arrancar uma vitória no final contra a sensação do começo da temporada. Com um jogo terrestre pra lá de eficaz, os Jets conseguiram vencer o tiroteio que foi esse jogo, mesmo com o QB Alex Smith lançando para 4 TDs, a equipe que atirou por ultimo se saiu melhor. A equipe liderada pelo HC Todd Bowles, que esta fazendo uma campanha digna quando todos indicavam antes do inicio que seria uma das piores da historia da franquia, apontando a equipe como a menos talentosa da NFL, superando tudo isso a equipe ainda sonha com uma vaga no Wild Card.

Pontos Positivos:

Como tem sido corriqueiro nas vitorias dos Jets, o ataque terrestre foi muito bem, não tendo um destaque individual, mas sim contando com um trabalho coletivo de Powell e Forte. Esse fator deixou o ataque balanceado não forçando o QB Josh McCown a fazer grandes jogadas. Essa foi a chave para a vitória. Tendo muito tempo de posse e quase o dobro de first downs que os Chiefs.

A linha ofensiva foi muito bem tanto no jogo terrestre, abrindo os gaps necessários para as corridas, no jogo aéreo protegendo o Quarterback e não permitindo nenhum sack.

Mesmo com a defesa cedendo muitos pontos Leonard Williams tem sido uma exceção nas criticas, ele pressionou bastante Alex Smith, contabilizado 4 QB Hits e 0.5 sack

Pontos Negativos:

A defesa sentiu muito a ausência do LB Darron Lee, cedendo muitas big plays, como uma corrida de 70 jardas do QB Alex Smith, algumas jogadas explosivas para o WR Tyreek Hill que teve 6 recepções para 185 jardas e 2 TDs. A deficiência em marcar TEs na red zone foi evidente cedendo 2 TDs a Travis Kelce nessa partida.

O Safety Jamaal Adams esteve abaixo de seu desempenho usual, com apenas 1 tackle ele não foi parte efetiva do jogo, não contribuindo muito para a vitória da equipe.

the author

Descrição: Daniel Saltes, estudante de jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, 22 anos, colunista e colaborador do Blog Ufanismo NFL, apaixonado por esse esporte desde 2007, tendo como jogadores favoritos Tom Brady (G.O.A.T), Randy Moss e Vince Wilfork. Almejo paz mundial e um dia ser um jornalista competente como Adam Schefter, Ian Rapoport ou Adrian Wojnarowski. Acompanho desde soccer ate curling. Um amante de esportes nato. #GoPatriots

Comentários

Top