Após mais uma vitória do Patriots, combinado com as derrotas dos rivais de Divisão, a disputa pelo título, consequentemente por uma vaga direta nos playoffs, ficou mais distante para Dolphins, Jets e Bills. Nessa semana não teremos a analise dos Jets, pois estão na sua semana de bye. Tendo atuações bem apagadas e abaixo das expectativas, as equipes da AFC Leste foram a grande decepção da rodada, dando uma folga na liderança da divisão e deixando a disputa como se previa na offseason, ou seja sem disputa e com a manutenção da hegemonia da equipe da Nova Inglaterra.

 Tampa Bay Buccaners (4-6) 30×20 Miami Dolphins (4-6)

A equipe de Miami jogou bem, mas como vem sendo recorrente o jogo corrido mais uma vez não foi efetivo, para ajudar na derrocada da equipe durante a partida o QB titular Jay Cutler, saiu da partida lesionado, com suspeita de concussão. O time sente falta do RB Jay Ajayi, trocado para os Eagles recentemente.

Pontos Positivos:

A atuação dos WRs Kenny Stills e Jarvis Landry, mesmo com a derrota se saíram muito bem ajudando seus QBs com jardas após a recepção. Stills teve 7 recepções para 180 jardas e 1 TD, já Landry teve 6 recepções para 95 jardas e 1 TD.

Já na defesa o grande destaque foi o LB Kiko Alonso, que vem sendo peça fundamental para a defesa da equipe da Flórida, contabilizando 10 tackles, sendo 1.5 para perda de jardas, ele tem sido uma boa arma para combater o jogo corrido, mesmo pecando na cobertura de passes, principalmente aos destinados a TEs.

 

Pontos Negativos:

 

O jogo terrestre tem sido o grande ponto fraco da equipe, sem conseguir controlar o relógio, deixando o ataque unidimensional e por consequência previsível, com a linha ofensiva inconsistente, um QB cujo índice de confiabilidade não é alto. Se os Dolphins almejam uma vaga no Wild Card, ou até mesmo o titulo da divisão, precisa do jogo terrestre para o auxiliar o sistema e assim ser mais efetivo e eficiente. Outro ponto afetado pela falta de um bom jogo corrido é a pouca eficiência na redzone, não conseguindo converter suas campanhas em touchdowns.

 

Os Turnovers foram o grande ponto negativo da equipe neste domingo, com um total de 5, 3 interceptações de Cutler e 2 fumbles perdidos.

 

A defesa como um todo não contribuiu, mas é eximida de culpa, pois mesmo com boas jogadas parando o ataque liderado por Fitzpatrick, os turnovers deram um “tempo extra” para a unidade defensiva, tornando o jogo mais cantivo para eles. Mesmo o contendo o jogo corrido não forçar nenhum TO foi decisivo para a derrota, dado o fato de o ataque ter entregado a bola 5 vezes para os Bucs.

 

Buffalo Bills (5-5) 24×54 Los Angeles Chargers (4-6)

Em jogo marcado pela mudança na posição de QB pela parte dos BIlls, a decisão controversa do HC Sean McDermott, jogando o rookie Nathan Peterman aos leões, sem seu LT titular e enfrentando a, possivelmente, melhor dupla pressionando QBs na liga, formada por Melvin Ingram e Joey Bosa. Era um desastre previsto antes do jogo começar, quando se deu o primeiro tempo todo a previsão se tornou realidade. Nos dois primeiros quartos Peterman lançou 14 passes, completando 6 para seus companheiros e 5 para seus adversários, contabilizando apenas 66 jardas aéreas e tendo um QBR de 0.3 (nota que vai de 0 a 100). Tais TOs dificultaram em muito a busca pela vitória, pois os Chargers capitalizando 24 pontos depois desses TOs no primeiro tempo.

 

Pontos Positivos:

 O RB LeSean McCoy foi o grande destaque do ataque, mesmo com as interceptações lançadas por Peterman, “Shady” consefuiu 114 jardas em 13 carregadas e 1 touchdown.

Já no lado defensivo o grande destaque foi o LB Preston Brown, contabilizando 13 tackles totais. O DE Shaq Laqwson se destacou também com 4 tackles e 1 sack, o único do time na partida.

Pontos Negativos:

 Para este colunista o grande culpa para esses números desastrosos nessa partida não foi o QB novato, mas sim o HC Sean McDermott que tirou Tyrod Taylor da posição de titular, pois ele tinha até esse ponto da temporada números dignos, 11 touchdowns lançados e apenas 3 interceptações, na carreira nunca tinha lançado um pick-six (interceptação retornada para touchdown). Contudo Peterman foi lançado no coliseu com dois leões em seu encalço (Ingram e Bosa), seu seu protetor do lado cego (Left Tackle) e sem experiência o calouro lançou uma pick-six em sua primeira campanha e teve uma estreia para se apagar da memória, causando sua volta para o banco após o intervalo.

Com os números prejudicados pelas interceptações, um placar dilatado precocemente nessa partida os outros membros da equipe pouca culpa tem nessa derrota, a defesa ficando em tempo demais e o ataque após a saída de Peterman fez o que deu, com uma defesa mais relaxa de LA.

Se o time almeja continuar na briga pelos playoffs, cuja seca dura desde 1999, McDermott precisa pensar no melhor para o time, manejar melhor o elenco e não tomar decisões precipitadas como a desse ultimo domingo.

the author

Descrição: Daniel Saltes, estudante de jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, 22 anos, colunista e colaborador do Blog Ufanismo NFL, apaixonado por esse esporte desde 2007, tendo como jogadores favoritos Tom Brady (G.O.A.T), Randy Moss e Vince Wilfork. Almejo paz mundial e um dia ser um jornalista competente como Adam Schefter, Ian Rapoport ou Adrian Wojnarowski. Acompanho desde soccer ate curling. Um amante de esportes nato. #GoPatriots

Comentários

Top